sábado, 30 de junho de 2012

CÃES - Colapso e estenose de traqueia

Colapso de traqueia em cães.
O fato de ter um bulldog sempre me deixou preocupada com eventual possibilidade de haver um colapso de traqueia. Em termos bem grosseiros, mas facilmente inteligíveis para leigos, significa o fechamento da garganta.
Tecnicamente, a traqueia do animal, formada por aneis cartilaginosos, pode entrar em colapso e impedir a passagem do ar para respiração. É algo como quando sugamos com força um canudinho de plástico fino e ele se fecha e o líquido não sobe.
Há algumas raças com predisposição para essa ocorrência, como os braquicéfalos (focinho curto).  Nessas raças, o palato mole prolongado (parte que segue o céu da boca, não o céu em si, mas a sua continuidade em direção à garganta), por ser mole, favorece esse colapso (fechamento).
Algumas raças, como dito, têm essa predisposição genética e o animal pode viver bem com essas características. Contudo, alguns podem apresentar essas características num grau mais grave e nesse caso a qualidade de vida do animal pode ser comprometida.
O diagnóstico não é simples, porque esse órgão é flexível, mole. Assim, ao se fazer um raio-x para verificar o estado da abertura dos aneis pode não garantir uma conclusão certa. De repente, naquela momento em que foi feito o raio-x (aquele segundo) a traqueia pode ter se estreitado, num movimento normal, já que é flexível, o que não signficará necessariamente um estreitamento permanente.
O diagnóstico por raio-x a concluir por um estreitamento permanente será eficaz apenas em casos justamente de estreitamento permanente, e a essa conclusão se chegará se o animal apresentar outros sintomas que levem a esse diagnóstico.
 
Quais sintomas?
Dificuldades respiratórias frequentes (independente de temperatura e umidade relatividade do ar, porque em altas temperaturas a dificuldade è esperada); cansaço incomum; apneias frequentes e regulares; cianose principalmente nas mucosas da boca e língua (= mucosa e língua arroxeadas, isto significa que o tecido não está sendo adequadamente oxigenado) etc. Tratamento. Há possibilidade de correção cirúrgica, que seria a inserção de aneis na traqueia para mantê-la aberta. É uma cirurgia bem delicada e que, segundo um veterinário me informou, só indicada como última opção, casos gravíssimos.
 
Outras possibilidades.
Como uma tentativa de prevenção ( digo tentativa porque não conheço estudos que comprovem, se existir, me indiquem, por gentileza) é ministrar sulfato de condroitina. Essa substância auxilia na produção de cartilagem, possibilitando que as paredes da traqueia mantenham-se firmes.
Outro fator importante é manter o cão magro, no caso dos mais gordinhos, como bulldogs ingleses. Por uma questão de espaço mesmo, a gordura tende a comprimir mais a traqueia.
 
Em caso de emergência.
Casos de emergência são aflitivos. Quem já viu um ser (humano ou animal) com dificuldades respiratórias ou já passou por isso entende o que digo. Já vivi muitas situações com meus animais, de vários tipos e gravidades, mas reconheço ser essa a mais aflitiva, principalmente porque nossas possibilidades de intervenção são limitadas e a necessidade de o animal respirar, urgentíssima, claro.
Segue o kit emergência que tenho: - medicamento broncodilatador (Pulmonil, por exemplo). - compressa de água gelada - no caso de possibilidade de colapso (também chamada estenose) por hipotermia, calor excessivo.
Colocar na região abdominal, nuca, almofadinha das patas. Embora a ação deva ser imediata, encoste aos poucos. Esses locais facilitam a termorregulação. - abanar, colocar perto de ventilador. - ministrar diurético.
Motivo: a descompensação respiratória pode fazer com que o pulmão retenha água, dificultando ainda mais a respiração. Por fim, eu uso um produto por ideia minha, o própolis, daqueles sprays de farmácia mesmo. O propólis é um broncodilatador natural, por isso pode ser ministrado mais vezes, numa noite (em situação normal) de muita apneia, por exemplo. Busquei essa opção porque deve-se evitar dar um broncodilatador sintético sempre, a cada apneia, por exemplo, porque pode criar resistência do organismo e não ser eficaz quando for urgente. Não sei dizer o quão eficaz é o própolis.
Quando minha bull tem mais apneias do que o normal, eu dou uma espirrada. Parece que melhora, não sei se é coincidência. No mais, eu perguntei ao vet e ele liberou o uso, sem contra-indicações em princípio (a menos que o cão tenha algum impedimento especificamente com essa substância, como alergia). Cuidados E, finalmente, qualquer cão que tenha possibilidade de ter esse tipo de problema não deve ser submetido a altas temperaturas, stress, atividades físicas (a depender da condição do cão).
Outra coisa que parece melhorar a respiração é manter a umidade do ar a mais de 50%. O ar de dias muitos secos tendem ressecar as vias respiratórias, dificultando o processo de respiração. Quando a estiagem for severa, coloque recipientes com água no ambiente ou mesmo toalhas molhadas (cuidado que toalhas podem criar fungos!), vale até espirrar água no ambiente, se necessário. Uma observação importante ainda é que qualquer raça pode ter um colapso de traqueia. Isso não é necessariamente fatal.
 
Tenho um dachshund que tem de vez em quando ao andar na guia e, ao querer correr, dá um tranco na coleira. Nisso ele pára, como se fosse um engasgo, uma crise de asma, até voltar ao normal em poucos segundos. Isso é um tipo de colapso, por uma força mecânica, a traqueia fechou. O esperado é que volte ao normal rapidinho.
Se não voltar (quando ocorre uma estenose propriamente dita, um estrangulamento do canal da traqueia), o animal pode morrer. Mas como disse, esses casos não são comuns, dependem de outros fatores.
Colapsos temporários e sem causas intermitentes (como o tranco na guia) deve voltar normalmente. Esse assunto é muito pouco explorado, principalmente em português, apesar de ser tão grave.
Se alguém tiver alguma contribuição, seja técnica, seja de experiência pessoa, ou mesmo dúvida, troca de experiências, deixe um comentário, a ideia é trazer o máximo de info possível sobre o assunto que me parece tão negligenciado.
Lembro que todo o exposto é baseado em minhas experiências pessoais, minhas pesquisas e conversas com profissionais da medicina veterinária e proprietários de animais que vivenciaram algo relacionado. Em todo caso, procure orientação de um especialista.

7 comentários:

  1. Adorei o post, tenho uma cachorrinha com apneia e que ronca muito. Ando preocupada e realmente é um assunto negligenciado sim. O veterinário apenas me disse que foi pq ela enordou e a gordura pressionava a traqueia. Ela não é tão gorda assim, de qq maneira reduziu o peso e ainda assim ronca muito e tem frquentes crises de apneia.
    Sinto que será preciso a consulta por diversos veteriários........

    ResponderExcluir
  2. Olá, realmente a resposta de que seria apenas gordura (embora correta), não nos satisfaz! Eu entendo porque já passei pela mesma situação, meu cão emagreceu e o problema não sumiu. Como eu disse, realmente melhorou seguindo todo esse protocolo: redução peso + caminhadas leves + cápsula de colágeno,condroitina,glucosamina + umidade relativa do ar alta + spray de própolis (se necessário).
    Boa sorte!

    ResponderExcluir
  3. Vamos lá.
    Li seu blog e agradeço por explicações iniciais. Tenho 2 caes em casa com estenose, e fiquei muito preocupado quando os vi com falata de ar.
    O tratamento indicado pra elas foi o sulfato de condroitina injetavel, calculando o peso do animal ao tempo de exposição ao medicamento.

    Segue um estudo cientifico que você tanto procurava, e acredito que venha a engrandecer seu conhecimento.

    Abraço, Gilvan


    http://www.labyes.com.ar/espanol/info/sulfato_condroitina_caninos_colapso_traqueal.pdf

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Gilvan, agradeco a colaboracao. Vou ler cuidadosamente! Eu já ministro cápsula de condroitina+glucosamina+colágeno em minha bulldog, já fiz postagem sobre isso também aqui. O sono dela melhorou significantemente, reducão relevante de apneias! Volte sempre!

      Excluir
  4. O meu cachorro, um poodle, foi diagnosticado com colapso de traqueia. A veterinária orientou o uso de um medicamento homeopatico, que é o: Displasia, da Homeo Pet, originalmente ele é indicado para displasia coxo-femural, contudo ele também é importante no tratamento do colapso traqueal. Também foi indicado o uso de uma formula manipulada com: diacereina, condroitina, glucosamina, colageno e vitamina c.Espero ter contribuido, porque também é muito sofrimento pro dono do animal que sofre com essas crises.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, agradeço demais a colaboração! Realmente é um sofrimento para o cão e uma grande aflição para nós, donos, em vê-los nessa situação! Como eu já dou glucosamina+condroitina+colágeno, vou pesquisar sobre o acréscimo dessas outras substâncias! A condroitina em si é indicada para articulações, mas ajuda nesse problema na traqueia! Muito para nós alternativas!
      Anotado. Vou postar sobre suas considerações logo mais, se quiser se identificar e falar mais depois de alguns meses de uso (teve melhora?), volte e nos conte! Boa sorte!

      Excluir
    2. Anônimo, eu gostaria de falar com sua vet sobre dosagens, será que pode me passar um contaro dela? Agradeço!

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...